terça-feira, 19 de abril de 2011

Asfalto poroso absorve água e reduz riscos de enchentes.

Ana Carolina Athanásio / Agência USP

asfalto

Pavimentos porosos desenvolvidos pela Escola Politécnica (Poli) da USP são capazes de absorver com facilidade e rapidez a água da chuva e podem ajudar a reduzir os impactos das enchentes. Segundo o professor e coordenador da pesquisa José Rodolfo Scarati Martins, “os pavimentos funcionam como se fossem areia da praia e permitem que as águas cheguem aos rios e córregos com a metade da velocidade”.
Um experimento da pesquisa contendo os dois tipos de pavimento – um feito com placas de concreto e outro com asfalto comum misturado a aditivos – foi desenvolvido em um dos estacionamentos da Poli e conseguiu reter praticamente 100% das águas das chuvas dos meses de janeiro e fevereiro deste ano. O diferencial dos pavimentos porosos desenvolvidos pela Poli em relação aos já existentes deve-se ao fato de possuir uma base de pedras de 35 centímetros, a qual é responsável por reter a água por algumas horas e diminuir a probabilidade de enchentes no local.
“A impermeabilidade do asfalto comum é uma das grandes vilãs do meio ambiente urbano, pois não permite que a água seja absorvida pela terra e ajuda a causar as enchentes. Os pavimentos que desenvolvemos são diferentes, pois são capazes de devolver parte da permeabilidade ao solo e consegue absorver a água com muita rapidez”, explica Martins.
A diferença entre os dois tipos de pavimentos está na superfície – um é feito com concreto e outro com asfalto comum. “Mesmo com pequenas diferenças entre eles, ambos retém porcentagem grande de água se comparados ao asfalto convencional e funcionam de maneira muito eficaz”, salienta o pesquisador.
Um dos pavimentos porosos desenvolvido na Poli é uma mistura entre o concreto asfáltico comum e vários aditivos que permitem que sejam mantidos espaços, como poros, na superfície. Dessa maneira, a água proveniente das chuvas é absorvida por esses poros e acabam sendo retidas, por algumas horas, entre as pedras que constituem a base.
Como parte do experimento, há ao lado do estacionamento feito com o asfalto poroso um espaço, como se fosse uma caixa d’água, que recebe toda a água retida na base de pedras. “Toda a água absorvida pelo asfalto tem como destino esse local. Com isso, podemos monitorar desde a quantidade de chuva até a capacidade de retenção do pavimento”, explica.
Segundo Martins, o pavimento poroso custa 20% a mais do que o asfalto convencional , mas com sua implantação em larga escala esse preço diminuiria. “O valor que temos relaciona-se ao experimento. Quando pensamos no uso do asfalto poroso em cidades grandes como São Paulo o custo cai muito, pois seria produzido em quantidade muito maior e, consequentemente, baratearia a produção e a manutenção”, diz.
Projetos futuros
Desenvolvida com o apoio da USP e da Prefeitura Municipal de São Paulo, a pesquisa teve início em 2006 e pretende ampliar o experimento para fora do campus. “Hoje sabemos que o pavimento funciona muito bem em estacionamentos e já poderia ser implantado em shoppings e locais semelhantes. Futuramente, pretendemos fazer o mesmo tipo de experimento em ruas de tráfego leve em áreas residenciais para observarmos se o asfalto poroso funcionará da mesma forma”, diz o pesquisador.
Além disso, o grupo de pesquisa coordenado pelo professor pretende avaliar o tempo de desgaste do asfalto e a qualidade da água retida na base de pedras do pavimento. “É importante sabermos como é essa água, se ela contém algum contaminante e se pode ser infiltrada no terreno. Caso não haja nenhum aspecto negativo em relação aos contaminantes, é possível que, além de ajudar a cidade a combater as enchentes, possamos reutilizar a água da chuva para limpeza de vias públicas, por exemplo”, enfatiza Martins.
Mais informações: email jose.scarati@poli.usp.br  com o pesquisador José Rodolfo Scarati Martins

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Concrete Brazil ou melhor “ Concreto du Brazil”

TEXTURACONCRETO
 
O Brasil sempre foi um dos grande especialistas em destaque em concreto armado e somos muito respeitados por isso mundialmente, mas a cada dia temos  demostrado ainda mais com aplicação de métodos construtivos  inovadores principalmente em paredes de concreto , premoldado e prefabricado em grande quantidade.
Estamos vivenciando nos últimos anos uma febre crescente de aplicação de novos métodos construtivos que utilizam como principal material o concreto armado em novas aplicações .
Ha pelo menos a 6 anos , quando então fomos trazer as tecnicas utilizadas em  nossos vizinhos da America do Sul, quem planejasse uma obra  utilizando uma parede toda de concreto, que não fosse somente para um pilar seria taxado de careiro e constestado do porque não utilizar blocos que tem menor custo.Mas o tempo tem nos mostrado que com a escassez de mão de obra cada dia mais evidente a indicação que temos que ser cada vez mais pratico e rápido na execução de nossas obras.
Mas além disso a terminalidade e a queima de etapas são as estratégias mais  inteligentes na busca do objetivo do menos custo , prazo e qualidade.
Motivado pela certificação do SINAT (Sistema Nacional de Avaliações Técnicas ) para emissão de varios DATec ( Documento de Avaliação Técnica ) que foram criados a pouco mais de um ano, resolvi fazer um resumo das certificações já publicadas no sentido de difundir mais as novas técnicas que tem impulsionados muitas construtoras brasileiras na busca da redução do deficit habitacional brasileiro.

datecNN_thumb



CONCRETE BRAZIL

Brazil has always been one of the great experts highlighted in concrete and we are very respected in this world, but every day we have demonstrated further with the application of innovative construction methods primarily in concrete walls, premold and precast in large quantities.
We are experiencing a fever in recent years increasing application of new construction methods as the main material using reinforced concrete in new applications.
There are at least six years, then when we bring the techniques used in our South American neighbors, who planned to work a whole using a concrete wall, which was not only a cornerstone of career and would be taxed because the disputed use is not blocks that have lower cost. But time has shown us that the shortage of labor each day more obvious indication that we have to be more practical and rapid execution of our works.
But in addition to terminal and firing steps are the most intelligent strategies in pursuit of the goal of least cost, schedule and quality.
Motivated by the certification SINAT (National Assessment Techniques) to issue several Datec (Technical Assessment Document) that was created just over a year, I decided to make a summary of already published certifications in order to further develop new techniques that Brazil has driven many builders in the pursuit of the Brazilian housing deficit reduction.

terça-feira, 5 de abril de 2011

As 50 Empresas do Bem

66.jpg
Um dos maiores desafios do Brasil, a gestão de resíduos virou lei. Conheça algumas companhias que saíram na frente e criaram projetos que aliam sustentabilidade econômica e social
Por Rosenildo Gomes Ferreira



http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/53459_AS+50+EMPRESAS+DO+BEM